Na busca pela realização profissional, muitas pessoas estão optando pelo empreendedorismo. Um ‘‘modo de agir’’ no qual você se coloca como protagonista da sua própria carreira, faz opções alinhadas com a vida que deseja e ainda deixa um legado.

Mas esse não é exatamente o empreendedorismo que você conhece, certo? Normalmente, quando se fala em empreender, logo vem à mente aquela imagem do empresário que criou um negócio e está em eterna luta com os impostos.

Empreender, no sentido denotativo encontrado no dicionário, está relacionado à sua capacidade de realização, isto é, à sua capacidade de tirar as ideias do papel e de colocá-las em ação. Simples assim. E, pensando dessa forma, a mulher empreendedora pode estar empreendendo a sua vida, o seu negócio ou qualquer projeto no qual esteja se dedicando a executar.

Já a palavra empreendedorismo traz o significado mais voltado para os negócios, é verdade. Mas é melhor pensar que por trás de cada negócio existe uma pessoa, um empreendedor.

Para que você se torne uma empreendedora de negócios, antes é necessário (diria até, fundamental) que empreenda a sua vida, tenha consciência do seu propósito, da história que deseja viver e construir todos os dias, das suas potencialidades e dos pontos a melhorar para que possa viver a sua melhor versão. É um processo um tanto mais complexo do que criar um CNPJ — e, por isso mesmo, mais prazeroso e empoderador.

Na minha trajetória como empreendedora, que começou há cerca de 12 anos, me deparei com centenas de pessoas que também buscavam viver a melhor versão de si mesmas, retomar as rédeas da própria vida e até criar um negócio. Essas pessoas possuem algumas atitudes em comum e gostaria de partilhar 5 delas aqui com você. Confira:

⒈ Tenha um porquê

Não é que você se torna uma empreendedora e aí tem um porquê; você tem um porquê e isso faz com que você se torne empreendedora. É essa razão maior que faz com que você possa gerar a motivação necessária para superar os obstáculos que aparecem dia após dia e para desenvolver as demais atitudes necessárias para ser uma empreendedora.

As razões para empreender podem ser muitas. Cada mulher conhece o seu estilo de vida, as suas necessidades, o que gostaria de mudar no seu trabalho e como gostaria de aproveitar o seu tempo. O empreendedorismo pode simbolizar, portanto, um maior controle sobre a sua vida.

Entre as motivações para empreender, podem constar:

  • necessidade de autonomia financeira;
  • vontade de executar ideias;
  • trabalhar com uma atividade em que vê um propósito;
  • poder gerenciar os horários em que trabalha;
  • ter mais tempo para cuidar de si mesma e, se for o caso, dos filhos;
  • e, principalmente, acreditar em um objetivo e ter muita vontade de realizá-lo.

Tenha em mente o que move o seu espírito empreendedor — quase que como um mantra — e passará a encarar o esforço exigido para empreender por meio de outro prisma.

Você enxergará um caminho a ser trilhado para um bem maior, para a sua autorrealização, para oferecer algo realmente bom para o seu público e para ser a melhor naquilo que faz.

⒉ Tire as suas ideias do papel

A mulher empreendedora executa, se coloca em ação, ele não fica de “mimimi” e muito menos deixa sonhos e ideias guardados para sempre. É claro que ele sabe que pode não ser simples ou fácil, mas ao se colocar em movimento é possível se deparar na prática com comportamentos necessários para que a ideia se torne uma realidade. É no movimento, não na espera, que você se torna um realizador.

A prática também é a melhor forma de aprendizado. Afinal, o seu dinheiro estará investido no seu negócio e, assim, você terá uma mentalidade que a ajudará a analisar a situação de forma a tomar as melhores decisões para não tomar prejuízo. Se não souber resolver sozinha, certamente um pouco de teoria ou de conselhos de pessoas experientes serão fundamentais para o gerenciamento.

Um pouco de preparo prévio é aconselhável, certamente, pois evitará erros amadores e te ajudará a vencer os medos de começar. Cursos de coaching, autoconhecimento e empreendedorismo são grandes ferramentas, pois não são somente teoria pura, mas sim formas de esculpir ainda mais as suas ideias e de descobrir habilidades.

Chegando à fase de execução, então, atingirá o timbre certo do mercado, pois será quando feedbacks, críticas e sugestões serão dadas. Por consequência, se você estiver atenta e bem preparada para recebê-los, se aprimorará a cada dia.

Em entrevista para a revista Exame, o gerente do Sebrae, Joaquim Xavier, aconselha:

Ficar só na teoria é como ter 200 horas de aula sobre fazer pizza e nunca colocar a mão na massa. É preciso fazer as primeiras pizzas e deixar que elas queimem. Nas próximas vezes, você já saberá qual é o ponto correto.

Sábio conselho, não é mesmo?

⒊ Busque todos os dias a sua melhor versão

O que você sabe hoje vai mudar amanhã. Necessariamente.

O empreendedor está sempre em busca da sua melhor versão, de desenvolver novas habilidades ou de aprimorar habilidades já existentes. Ele reconhece os seus pontos fracos e, com isso, tem a possibilidade de buscar pessoas que possam somar e torná-lo mais forte.

Esse aprimoramento é contínuo, assim como a própria vida que está sempre em uma constante evolução.

Você chegou até aqui. Enfrentou as dificuldades e deu o passo inicial para empreender. Tenha em mente a vontade de permanecer no mercado, de não desistir. Crises podem acontecer a qualquer um, mas poucos permanecem.

O que os faz mais fortes? A certeza de que estão dando o melhor de si. E isso vem por meio de um caminho constante de atualização na área em que empreende, de buscar sempre aperfeiçoar o que oferece ao público e de mudar se for necessário.

Se você se sentir sobrecarregada, delegue tarefas. Ter um time forte, que a apoia, pode ser uma grande motivação para dar o melhor de si a eles. É comum que empreendedores queiram carregar todas as responsabilidades nas costas, mas é essencial saber que não se faz nada sozinho. Por isso, tenha um time em que confia e o faça querer buscar a sua melhor versão.

⒋ Foque em soluções

A capacidade de realização do empreendedor está intimamente relacionada com a sua capacidade de enxergar problemas. Então, para cada problema que existe, enxergar uma proposta de solução.

É disso que se trata criar um negócio: de você encontrar problemas que as pessoas ainda não resolveram e oferecer soluções para elas.

É comum, no entanto, se deparar com a dificuldade em inovar no mercado. Pode ser difícil detectar onde atuar. Mas tenha em mente que, mesmo que já existam soluções em determinado setor, sempre é possível oferecer algo diferente e que pode tornar o seu negócio único.

Nesse caso, é importante fazer o seu público enxergar que a sua proposta de serviço ou de produto realmente agrega valor àquela área e que é vantajoso pagar por isso.

Para se diferenciar dos concorrentes, é necessário que o empreendedor conheça a fundo o que o mercado já oferece, o que o público pensa sobre aquilo e criar a sua marca de acordo com a demanda.

⒌ Comece antes de estar pronto

Preciso te dizer uma coisa: você nunca estará pronta. A hora e momento certos para começar não existe. O empreendedor já se deu conta disso, ele simplesmente começa. Se coloca em ação com os recursos que já possui, sejam eles financeiros, conhecimentos ou uma rede de contatos.

Primeiramente, você começa, depois vai desenvolvendo a sua ideia a cada novo passo que dá. Como já entendemos pelos tópicos abordados no texto, a iniciativa é tudo. Ela é o elemento decisivo entre aqueles que executam ou não.

Você já ouviu falar no conceito de timing? Ele tem a ver com não deixar a oportunidade passar. Enxergou as condições iniciais para executar sua ideia? Então este é o momento. Não perca tempo. O mercado pode estar precisando do seu produto ou serviço justamente agora e, se você deixar passar, pode perder o trem.

Você pode não ter a precisa sensação de estar pronta, mas alguns indicadores podem facilitar essa segurança. Pense em pontos como:

  • estou apaixonada pela minha ideia?
  • disponho-me a me dedicar de corpo e alma?
  • tenho os recursos iniciais?

Isso tudo deve ser pensado entre você e você mesma. As pessoas nem sempre vão apoiar, e isso não deve ser o mais importante. Foque no quanto você aposta nesse negócio.

⒍ Dica bônus: inspire-se

Se inspire em outras mulheres empreendedoras de sucesso! Informe-se de bons exemplos e de mensagens positivas. Essa é uma ótima maneira de manter a motivação intacta.

Somos bombardeadas frequentemente com ideias de que o mundo dos negócios é associado ao masculino; que é preciso ser linha dura para ser bem-sucedido; que certos segmentos, como tecnologia e games, por exemplo, são para homens. Desconfie e rejeite essas ideias sempre.

A cada dia tem crescido muito o número de mulheres empreendedoras. O Brasil, atualmente, tem 5 milhões de empreendedoras, segundo estudo da Serasa Experian. Elas estão aí para provar que podem — e devem — ser respeitadas como líderes e donas de empresas.

Há muitos exemplos de grandes mulheres empreendedoras. Nas mais diversas áreas, existem as que começaram com muito pouco e construíram um negócio do 0 e outras que já tinham experiência no universo business e acharam que era hora de trabalharem para si mesmas.

Seja qual for o ponto de início, o que elas têm em comum é bastante confiança em si mesmas e muita vontade de fazer o que fazem! Inspirador, não é verdade?

Tenho certeza que dentro de cada uma há o espírito de mulher empreendedora. Muitas pessoas adorariam receber essa motivação. Então compartilhe este post nas redes sociais e incentive o empreendedorismo feminino!